sexta-feira, 18 de março de 2016

OS SIGNIFICADO DOS 7 DONS DO ESPÍRITO SANTO

http://2.bp.blogspot.com/-r96B2HGZeAA/VWnO9_I70pI/AAAAAAAACDA/MbpEtCUOzd0/s1600/erro1.jpg


É o dom de perceber o que favorece e o que prejudica o projeto de Deus. 
Ele nos fortalece nossa caridade e nos prepara para uma visão plena de Deus. 
O próprio Jesus nos disse: “Quando fordes presos, não vos preocupeis nem com 
a maneira com que haveis de falar, nem pelo que haveis de dizer. Porque não 
sereis vós quem falareis, mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós” (Mt 10,19-20) 
A verdadeira sabedoria traz o gosto de Deus e de sua Palavra.



É o Dom Divino que nos ilumina para aceitar as verdades reveladas por Deus. 
Mediante este dom, o Espírito Santo nos permite perscrutar as profundezas de 
Deus, comunicando ao nosso coração uma particular participação no conhecimento 
 divino, nos segredos do mundo e na intimidade do próprio Deus. O Senhor disse: 
“Eu lhes darei um coração capaz de me conhecerem e de entenderem que 
Eu sou o Senhor” (Jr 24,7).



É o dom de saber discernir caminhos e opções, de saber orientar e escutar. 
É a luz que o Espírito nos dá para distinguirmos o certo do errado, o verdadeiro 
do falso. Sobre Jesus repousou o Espírito Santo, e lhe deu em plenitude esse dom
como havia profetizado Isaías: “Ele não julgara pelas aparências, e não decidirá 
pelo que ouvir dizer mas julgará os fracos co equidade e fará justiça aos pobres 
da terra (Is 11,3-4).



É o dom da ciência de Deus e não da ciência do mundo. Por este Dom o Espírito Santo 
nos revela interiormente o pensamento de Deus sobre nós, pois “os mistérios de Deus 
ninguém os conhece, a não ser o Espírito Santo” (1 Cor 2,10-15).



É o dom que o Espírito Santo nos dá de estar sempre aberto à vontade de Deus
procurando sempre agir como Jesus agiria. Se Deus vive a sua aliança com o 
homem de maneira tão envolvente, o homem, por sua vez, sente-se também convidado 
a ser piedoso com todos. Na Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios ele escreveu: 
“A respeito dos dons espirituais, irmãos, não quero que vocês permaneçam na ignorância. 
Vocês bem sabem que, quando vocês eram pagãos, eram facilmente atraídos para ídolos 
mudos. Por isso eu lhes declaro: todo aquele que é agora conduzido pelo Espírito de Deus 
não pode blasfemar contra Jesus. Bem como ninguém poderá dizer convictamente Jesus 
é o Senhor, a não ser movido pelo Espírito Santo” (1Cor 12,1-3).



Este é o dom que nos torna corajosos para enfrentar as dificuldades do dia-a-dia da 
vida cristã. Torna forte e heróica a fé. Lembremos a coragem dos mártires. Dê-nos
perseverança e firmeza nas decisões. Os que estiverem dotados desse dom não se 
amedrontam diante de ameaças e perseguições, pois confiam incondicionalmente no Pai. 
Em Apocalipse vimos “Nada temas ante o que hás de sofrer. Por estes dias o demônio 
vai lançar alguns de vós na prisão, para pôr-vos à prova. Tereis tribulações durante 
algum tempo. Sê fiel até a morte, e te darei a coroa da vida” (Ap 2,10).



Este dom nos mantém no devido respeito diante de Deus e na submissão à sua 
vontade afastando-nos de tudo o que lhe possa desagradar. Por isso Jesus teve sempre 
o cuidado de  em tudo a vontade do Pai, como Isaías havia profetizado: “Sobre Ele 
repousará o Espírito do Senhor, Espírito de sabedoria e de entendimento. Espírito de 
prudência e de coragem, Espírito de ciência e de temor do Senhor” (Is 11,2).

DOUTRINA 
Fé Explicada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.